Eventos de São Paulo

Dia Internacional pelos Direitos das Mulheres 2019 - O Instituto Francês do Brasil homenagia as mulheres em São Paulo

22/03/19

Compartilhe:


Ligia Fonseca Ferreira

Nascida em São Paulo, Ligia Fonseca Ferreira é professora de Língua e Literatura Francófona na Universidade Federal de São Paulo. Perfeitamente fluente, ela viveu treze anos na França. Mas seu encontro com a língua e cultura francesas ocorreu na sua infância, e eles se tornaram o fio do seu destino. Beneficiando de bolsas de estudo, ela estudou na Alliance Française, antes de trabalhar la, como professora de francês língua estrangeira, como coordenadora e diretora cultural. Foi a primeira assistente de Português do Brasil na França, ensinando a sua língua nativa e a cultura brasileira em instituições de prestígio (Escolas Henry IV, Montaigne, Racine) antes de se tornar alguns anos depois Doutor em Letras na Universidade de Paris 3 - Sorbonne, com uma tese sobre o escritor e abolicionista negro Luiz Gama. Durante sua estadia na França, ela deu aula no Departamento de Língua Estrangeira Aplicada da Universidade de Rennes 2. De volta ao Brasil, ela trabalhou por alguns anos na implementação da empresa Renault no estado do Paraná. Desde 2003, ela se dedicou inteiramente à vida universitária.Essas idas e voltas entre a França e o Brasil fazem da Ligia Ferreira uma verdadeira "transeunte", alguém que preenche a lacuna entre idiomas, países e indivíduos, impulsionada por sua paixão pelas relações culturais e interculturais entre o Brasil e a França. Em 2018, ela foi premiada chevalier na Ordem das Palmas Acadêmicas.

Livia Kalil

Jovem estudante de doutorado brasileira, Lívia Kalil, mantém desde a infância fortes laços com a França. Depois de passar alguns anos durante sua juventude lá, ela decidiu prosseguir seus estudos universitários na França, completando uma licenciatura em sociologia na Universidade de Paris-Sorbonne completada por um mestrado na IHEAL: Instituto de Estudos Superiores da América Latina.

Hoje, ela esta cursando doutorado, cujo tema de pesquisa se concentra em questões relacionadas à ação política, agricultura e mudança climática. Livia é atualmente coordenadora do escritório Brasil do Instituto das Américas, que junta estudos franceses no Brasil nas áreas das ciências humanas e sociais e, assim, contribui para a influência da cooperação científica e acadêmica entre a França e o Brasil.

Paola Minoprio

Paola Minoprio é um elemento-chave da cooperação científica entre a França e o Brasil, suas formações acadêmicas e profissionais refletem uma verdadeira excelência que foi colocada ao serviço da França. Formada em Biomedicina (1978) e Mestre em Parasitologia (Universidade de São Paulo, Brasil, 1985) ele é doutora  em Imunologia (Paris 6 Universidade de Sorbonne, França, 1989). Francófona e francófila, Paola Minoprio trabalha no Institut Pasteur desde 1986, onde ela fornece seus conhecimentos para o avanço da ciência. Seu trabalho árduo permitiu que o Instituto Pasteur assinasse os principais acordos e estabelecesse a presença do Instituto Pasteur na América do Sul e, especialmente, no Brasil, com a assinatura de vários acordos de cooperação bilateral (a FAPESP / Pasteur, USP / Pasteur). Desde 2018, ela é a representante administrativa do escritório do Instituto Pasteur de São Paulo e coordena a plataforma científica Pasteur-USP do Innovation Center InovaUSP um passo antes da criação do Instituto Pasteur do Brasil e cuja inauguração ocorrerá em julho de 2019.

Renata de Almeida

Renata de Almeida é uma pessoa muito importante na colaboração audiovisual entre a França e o Brasil. Ela foi formada em Rádio e Televisão pela FAAP (Fundação Armando Álvares Penteado). Teve especialização em cinema e documentário pela New School, em Nova York, cursado em 1988 e 1999. Estudou teatro e trabalhou como atriz. Também trabalhou como produtora de elenco/ figuração em cinema. Ela é diretora da Mostra Internacional de Cinema em São Paulo. É responsável desde 1990 pela seleção de filmes, programação e produção do evento, que sempre dá uma grande importância ao cinema francês. Também é responsável pela elaboração das oficinas, palestras e debates. Foi exibidora - ex-sócia da empresa Circuito Cinearte que conta com mais de 50 salas de cinema em todo Brasil, com salas em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Curitiba.

Em 2011, ganhou o Prêmio Governador do Estado, na categoria principal de Destaque Cultural, outorgado pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, e o Prêmio Especial da APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte), no início de 2012. Em 2017 foi agraciada pelo governo francês com a insigna de Chevalier de L’Ordre National du Mérite.

Christiane Jatahy

Christiane Jatahy cresceu em uma família de artistas e se apaixonou pelo cinema. Apesar de se direcionar para a carreira de escritora, escolhe, finalmente, o cinema. Mas seu trabalho se situa exatamente na metade do caminho entre o palco e a imagem,  seus espetáculos são mecanismos que combinam o teatro e o cinema ou o vídeo, questionando permanentemente a fronteira entre o ator e o público, a ficção e o documentário. Reconhecida internacionalmente, artista associada ao CENTQUATRE-PARIS e ao Odéon Théâtre de l’Europe, ela foi a revelação da edição 2013 do festival Temps d’images no CENTQUATRE-PARIS, em parceria com o canal  Arte. Sua encenação da peça La Règle du jeu, inspirada na obra-prima cinematógrafica de Jean Renoir, entrou para o repertório da Comédie-Française, em 2017. Ela também  percorre a França apresentando suas criações em inúmeros festivais e cidades francesas.

Mais informações : www.christianejatahy.com.br

Aurea Leszcynski Vieira

"A França gravou em mim a paisagem iluminista que desejo ao olhar para o mundo."

Perfeitamente francófona e formada em Filosofia pela Universidade Federal de Uberlândia, especializando-se, mais tarde, em gestão cultural, Aurea Leszczynski Vieira atua, desde 2010, à frente do departamento de relações internacionais do SESC São Paulo. Ela é um apoio de estimada importância para a promoção da cultura francesa. É, aliás, com sua participação no evento Ano da França no Brasil, em 2009, como principal colaboradora do Presidente do comissariado brasileiro, Danilo Mirada, que seu compromentimento em prol da difusão das artes e da cultura francesa no Brasil foi saudado e reconhecido. Graças à seu envolvimento e à seu entusiasmo, grandes projetos entre a França e o Brasil puderam ser criados, como a exposição Levantes/Soulèvements, de Georges Didi-Huberman, em 2018, a operação artística France Danse Brésil, em 2016, a exposição Jamaica, Jamaica, em 2018, sem contar as inúmeras companhias francesas acolhidas nas diferentes unidades do SESC Sao Paulo e em outros festivais. Por todas essas ações realizadas em prol da amizade franco-brasileira, ela recebeu, em 2011, a medalha de Chevalier des Arts et des Lettres e, em 2017, a medalha da Légion d’honneur.

E para ir alem, alguns retratos dos alumni do Campus France :

Morena Leite, chefe de cozinha e proprietaria do Capim Santo (Cordon Bleu) :

Janaina Rigonato, Pesquisadore no projeto Tara Oceans (pos-doc) :

Flavia Peneireiro, youtuber sobre as temáticas vinculada à França :

Mariana Brecht, fondadora da impresa ÇA[RA]VA, para a cooperação cultural Brasil- paises francofonos – Master na Université de Toulouse:

 https://www.bresil.campusfrance.org/pt-br/apos-master-na-franca-brasileira-abre-consultoria-para-projetos-culturais